Há mais de 130 anos, MAIZENA é a marca número um de amido de milho no Brasil. A famosa caixinha amarela aterrissou em solo brasileiro em 1930, porém já era febre em toda Europa e nos EUA.

Sabia que em 1840, o amido de milho, antes de ser difundido na indústria alimentícia, tinha um uso majoritariamente relacionado à indústria têxtil? Na Inglaterra era usado para engomar roupas, pois se misturado o pó triturado do milho com água, formava-se uma espécie de goma. Foi apenas em 1842, nos EUA, que Thomas Kingsford viu no amido de milho outras possibilidades de uso, expandindo-o para indústria alimentícia. Na mesma época crescia outro nome na indústria de amido de milho, Wreight Dureya. Responsável pelo nome Maizena, o amido de Duryea recebeu esse nome em referência à palavra maíz, que significa “milho” em espanhol. 

Iniciava-se a ascensão da caixinha amarela de Maizena, que ganhou prêmio de qualidade na época e começou a ser exportada para Europa. Em 1906, as empresas Dureya e Kingsford passaram a integrar o grupo norte-americano Corn Products Refining Company, mais tarde apenas Corn Products Company (CPC), adquirida pela Unilever.

Em 1874, começou a comercialização de Maizena no Brasil sendo um sucesso, mas só em 1930 com a atitude visionária do engenheiro L.E Miner, que viu em São Paulo uma possibilidade de abertura de fábrica de amido, é que se abriu a Refinações de Milho Brasil (RMB), subsidiária da CPC em território paulista. A partir daí, Maizena tornou-se fielmente parte da alimentação dos brasileiros, focando nas donas de casa e em ser o principal aliado na alimentação das crianças. A 2ª Guerra Mundial (1935-1945) ainda foi um grande fator para o aumento de consumo de amido de milho na década de 40, uma vez que os estoques de farinha de trigo foram diminuídos. A difusão de Maizena continuou em um cenário crescente no pós-guerra, ampliando rede de fábricas, linhas de produtos e presença na mídia.  Em 1947, 80% das donas de casa consumiam Maizena.

 

Na década de 50, Maizena fazia 100 anos e virou atração da TV Tupi com as “Sabatinas Maizena”, lançou o livro “O alimento do bebê e da criança” e os “Cadernos Maizena”, com atividades para crianças.

Em 1957 lançou a mistura para mingau “Cremogema”, consolidando a vocação em alimentção infantil. Nas décadas de 60, 70 e 80, Maizena não só focava em seu público infantil, para além disso, a marca decide se renovar e, em paralelo, aposta na versatilidade que o amido de milho pode ter, com anúncios de tortas, ensopados e sobremesas. Uma verdadeira expansão do toque secreto da marca nos cardápios: “Maizena faz mais gostoso.”

 

No fim dos anos 80 aumenta as opções concorrentes nas prateleiras e o público feminino se emancipa e moderniza. O viés publicitário então tem como foco a pluralidade de Maizena, em 1989 é lançado o Centro Maizena de Informações ao Consumidor, canal que divulgava diversos tipos de receitas práticas. Esse foco se estendeu aos primeiros anos da década de 90, com campanhas como “Maizena faz mais do que você imagina”, dedicadas a ensinar truques de forno e fogão em comerciais de TV. A marca ainda, apoiando as mulheres dentro e fora da cozinha, patrocinou a Seleção Brasileira de Futebol Feminino, entre 1994 e 1995, quando foi campeã e bicampeã sul-americana.

Na virada do milênio Maizena não deixou a peteca cair, atuou em duas grandes frentes necessárias na nova ambientação: a saúde, preocupando-se com a qualidade de vida e bem-estar das crianças adicionando a formula do complexo CresciNutre, um conjunto de vitaminas e minerais, em toda linha infantil e; versatilidade, lançando produtos para atender também às mulheres sem tempo de cozinhar, como misturas prontas para bolos. Em 2012, Maizena ainda expande seu uso para massas salgadas, com o slogan “Descubra algo novo em quem sempre esteve ao seu lado”, a ideia foi mostrada por meio da receita do Bolinho de carne, que ficava mais prática e o bolinho mais crocante quando feito também com Maizena.

A famosa caixinha amarela fez parte da alimentação de gerações e continua fazendo parte da vida de milhares de brasileiros, que escolheram preservar um gostinho único, tradicional e versátil em suas receitas. MAIZENA consegue unir em um só produto o sabor clássico e a versatilidade de criar e inovar.